|direitos dos trabalhadores

Mais de três décadas após falência, trabalhadores da H. Brehm recebem créditos

A falência da metalúrgica começou em 1989, mas os trabalhadores só agora receberam a totalidade das verbas a que tinham direito, bastante desvalorizadas face ao tempo volvido.

Créditos / Fiequimetal

O processo iniciado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Lisboa foi concluído no passado dia 11 pelo Sindicato das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente, do Centro Sul e das Regiões Autónomas (SITE CSRA/CGTP-IN).

Na sede do SITE CSRA, em Lisboa, os 46 trabalhadores credores, nalguns casos os seus herdeiros, receberam os créditos reivindicados há mais de três décadas. Da história desta falência, o sindicato lembra o episódio do «desaparecimento» de mais de um milhão de euros (200 mil contos, à época), «levados» por uma inundação na leiloeira que efectuou a venda dos bens da falida e que o liquidatário judicial de então «desconhecia».

A Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas e Eléctricas (Fiequimetal/CGTP-IN) refere num comunicado que a «luta e o sofrimento» destes trabalhadores começara uns anos antes do processo de falência da H. Brehm, salientando que as verbas finalmente recebidas estão «brutalmente desvalorizadas» por terem decorrido mais de três décadas desde que os créditos foram reconhecidos.

Tópico