|Beja

Greve parcial na Câmara de Beja entre 17 e 19 de Junho

Os trabalhadores da Câmara Municipal de Beja iniciam na segunda-feira uma greve parcial de três dias para exigir que o Executivo reponha na íntegra, já em 2019, todos os dias de férias «roubados».

Câmara Municipal de Beja
Câmara Municipal de BejaCréditos / Rádio Pax

Em nota de imprensa, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL/CGTP-IN) explica que a greve parcial nos dias 17, 18 e 19 de Junho foi aprovada em plenário geral, em resposta à intransigência da Câmara Municipal de Beja, que insiste numa reposição faseada dos dias de férias retirados.

Durante os três dias, os trabalhadores do Munícipio de Beja do sector operacional irão parar em dois períodos, entre as 7h e as 10h e as 18h às 21h, enquanto que os funcionários do sector administrativo e técnico cumprem greve das 9h às 12h horas.

«Esta tomada de posição demonstra a vontade dos trabalhadores em recuperar a totalidade dos dias de férias, que foram roubados pelo governo do PSD e do CDS-PP, já em 2019, [...] recusando assim a última proposta do Executivo de só recuperar os três dias em 2020 e, em compensação, "dar" um dia de férias neste ano».

Em Janeiro passado, o secretário-geral da CGTP-IN apelou ao Executivo liderado por Paulo Arsénio (PS) para que resolvesse o problema «pela via do diálogo e da negociação», em vez de provocar «um conflito desnecessário».

À altura, o STAL salientou ainda que a decisão da reposição faseada foi imposta pelo Executivo de forma unilateral sobre os trabalhadores, contra a sua vontade expressa, o que é ilegal à luz da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas.

Tópico