|União das Misericórdias Portuguesas

Greve nas Misericórdias pela valorização dos profissionais

Os trabalhadores das Misericórdias estarão em greve dia 25 de Outubro e vão manifestar-se em Lisboa pelo aumento dos salários e condições de trabalho dignas.

Concentração de trabalhadoras realizada a 14 de Março de 2019
Créditos / Sindicato da Hotelaria do Centro

Os trabalhadores da União das Misericórdias Portuguesas (UMP) e das Misericórdias irão estar em greve no próximo dia 25 de Outubro e concentram-se para uma manifestação, a partir das 14h30, do Campo Pequeno à sede da UMP, na Rua de Entrecampos, em Lisboa.

Através desta acção de luta, promovida pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS/CGTP-IN), os trabalhadores exigem às entidades patronais do sector o aumento dos salários e condições profissionais dignas.

Em comunicado à imprensa, a estrutura sindical denuncia que, desde 2016, «os trabalhadores da União das Misericórdias Portuguesas e das Misericórdias não têm qualquer valorização remuneratória».

O documento revela que, apesar de o Governo ter posto «à disposição» do sector social, onde se incluem as Misericórdias, 1,5 mil milhões de euros em cada ano, valor que representou uma actualização anual das respectivas comparticipações (em 2016 de 1,3%, em 2017 de 2,1% e em 2018 de 2,2%), não houve, nestes anos, qualquer aumento salarial para os trabalhadores.

Para a FNSTFPS, «os principais agentes da execução das funções e serviços sociais», que as instituições do sector social e solidário praticam, devem ser valorizados. Nesse sentido, reclamam que a UMP e as Misericórdias «não podem continuar com uma política de baixos salários» e que o Governo tem de «obrigar o sector social a promover uma política de melhores salários e trabalho com direitos».

Tópico