|direitos dos trabalhadores

Greve na Mahle contra o «desrespeito patronal»

Os trabalhadores da Mahle – Componentes de Motores, em Murtede (Cantanhede), iniciam esta segunda-feira, dia 5, uma série de greves, que se prolonga até dia 16, informa o SITE Centro-Norte.

Créditos / Fiequimetal

O protesto tem lugar «contra o desrespeito da empresa para com os trabalhadores», na medida em que «tem tido constantes procedimentos lesivos dos seus interesses», afirma em nota de imprensa o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro Norte (SITE Centro-Norte/CGTP-IN).

No mesmo documento se informa que a greve ocorre nas primeiras duas horas de cada um dos horários semanais e durante quatro horas em cada um dos turnos de fim-de-semana.

Como objectivos da luta, a estrutura sindical aponta a denúncia de diversos comportamentos patronais, nomeadamente o incumprimento do regulamento de banco de horas e a falta de respeito de algumas chefias para com os trabalhadores.

Ainda a constante prestação de informações incorrectas por parte dos Recursos Humanos, a aplicação de taxas de IRS lesivas dos trabalhadores e o incumprimento do Código de Trabalho.

«Os trabalhadores exigem que a empresa mude de atitude, tratando-os com a dignidade com que qualquer trabalhador deve ser tratado, ou seja, com respeito e urbanidade», afirma o sindicato, acrescentando que, «lamentavelmente, a empresa não dá sinais de procurar o diálogo».

Tópico