|horário de trabalho

Fim do trabalho extraordinário não pago na Novares de Vendas Novas

Foi alcançada a reivindicação para se pôr fim aos 30 minutos de trabalho não pago, impostos a alguns turnos, numa clara vitória da unidade dos trabalhadores, afirma o sindicato do sector.

Créditos / SITE CSRA

Os trabalhadores da Novares, fábrica da indústria química localizada no Parque Industrial de Vendas Novas, conquistaram uma redução do horário de trabalho, informou o Sindicato dos Trabalhadores das Industrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN).

Segundo o sindicato, desde há vários anos que os trabalhadores desta fábrica, nos períodos de turno da tarde e noite, vinham a trabalhar semanalmente mais 30 minutos de trabalho extraordinário não pago. Estes dois períodos aconteciam nos turnos da noite de domingo e da tarde de sábado.

No dia 9 de Outubro, o SITE Sul apresentou à administração, em reunião, o Caderno Reivindicativo dos trabalhadores para 2020, do qual fazia parte a exigência do fim destes 30 minutos de trabalho não pago.

O facto de esta medida ser desde já implementada constitui, segundo o sindicato, uma redução do horário de trabalho, que vem ao encontro de uma «justa reivindicação dos trabalhadores», alcançada «devido à unidade dos trabalhadores». 

Os trabalhadores exigem ainda o aumento dos salários em 90 euros, o salário mínimo de admissão na empresa de 850 euros, a regularização das categorias e carreiras profissionais, o cumprimento dos direitos de parentalidade e o fim dos vínculos precários, entre outras reivindicações.

O SITE Sul assinala, na nota, que estas propostas são perfeitamente possíveis de alcançar e que, «tendo em conta os lucros da Novares», não poderá ser alegada a instabilidade financeira da empresa.

Tópico