|estafetas

Estafetas preparam nova greve na cidade do Porto

Para o dia da greve, 2 de Abril, os trabalhadores das plataformas digitais Uber Eats, Glovo, Bolt e de Take Away marcaram uma concentração de protesto, às 15h, na Praça General Humberto Delgado.

Cerca de 50 estafetas da empresa Glovo concentraram-se na Praça do Comércio (Lisboa), a 7 de Fevereiro de 2020, em protesto contra os salários em atraso
Cerca de 50 estafetas da empresa Glovo concentraram-se na Praça do Comércio (Lisboa), a 7 de Fevereiro de 2020, em protesto contra os salários em atrasoCréditos / AbrilAbril

A concentração, que assinala mais um protesto dos trabalhadores das plataformas digitais, representa um momento único para que estes profissionais possam debater os problemas da sua profissão. Este momento é seguido por desfile motorizado pelas ruas da cidade, «para manifestar o seu desagrado e o seu protesto pelas fracas condições de trabalho oferecidas pelas multinacionais em causa».

Os trabalhadores lutam por um aumento significativo do valor pago por quilómetro: «um mínimo de 0,80 cêntimos do preço pago por quilómetro, contado desde a recepção do pedido até à entrega do mesmo ao cliente, ou uma percentagem igual a 50% do preço da gasolina, que cada vez é mais variável e que tem penalizado a classe trabalhadora», pode ler-se no comunicado do Sindicato de Hotelaria do Norte (SHN/CGTP-IN).

As multinacionais deste sector, com milhões de lucros, podem suportar o aumento do valor pago por cada entrega para 2,5 euros, assim como «um valor adicional em caso de espera superior a 10 minutos de 1 euro e atribuição de um bónus diário por cada hora de serviço de 1 euro».

Outras das exigências dos trabalhadores do sector passam pela «atribuição de um bónus significativo de 10 euros, em caso de mau tempo e de um subsídio noturno», a instituição de um «seguro de saúde e de doença e um salário mínimo garantido de 800 euros», assim como «férias pagas e um subsídio de natal no valor proporcional ao do ano trabalhado».

A aquisição dos veículos, e a sua reparação, face ao aumento brutal destes custos, deve ser subsidiada pelas empresas, tendo em conta que estes veículos são indispensáveis para o seu modelo de negócios

A greve de dia 2 de Abril inclui os trabalhadores de todas as plataformas do Porto: Uber Eats, Glovo, Bolt e os vários, mais pequenos, serviços de Take Away. A concentração, na Praça General Humberto Delegado, começa às 15h.

Tópico