|protesto

Concentração de trabalhadores da grande distribuição

Os trabalhadores da grande distribuição vão realizar na terça-feira, no contexto do conflito laboral com os patrões, uma concentração no Ministério do Trabalho. Exigem da APED (Associação Patronal) aumentos salariais e melhores condições de trabalho.

Segundo o CESP, cerca de 40% dos trabalhadores do sector recebem salários inferiores a 600 euros e 80% abaixo dos 640 euros
Segundo o CESP, cerca de 40% dos trabalhadores do sector recebem salários inferiores a 600 euros e 80% abaixo dos 640 eurosCréditos / AbrilAbril

Na próxima terça-feira, dia 6 de Fevereiro, os trabalhadores do sector da distribuição vão manifestar-se junto ao Ministério do Trabalho, local da primeira reunião de conciliação requerida perante o impasse entre representantes dos trabalhadores e patrões.

A concentração à porta do ministério, lê-se num comunicado, realiza-se no âmbito de uma quinzena de protestos, promovidos pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP-CGTP-IN) até dia 15.

O CESP reivindica o aumento dos salários de todos os trabalhadores, o fim da tabela B, aplicada em todos os distritos excepto Lisboa, Porto e Setúbal, e a progressão automática dos operadores de armazém até ao nível de especializado.

É repudiada ainda a contínua desregulação dos horários de trabalho, através dos banco de horas, e a práctica de salários baixos por empresas com milhões de euros em lucro, como também a redução do valor pago pelo trabalho suplementar prestado e pelo trabalho em dia feriado.

Nos últimos meses, os trabalhadores do sector realizaram várias acções de protesto pela revisão do contracto colectivo, melhores condições e aumentos salariais, das quais se destacam as greves realizadas nas vésperas do Natal passado.

Tópico