|CGTP-IN

CGTP comemora hoje 50 anos

Isabel Camarinha, secretária-geral da central sindical, sublinha que a história da CGTP-IN se funde com a do movimento operário e a luta de todos os trabalhadores no nosso país.

Isabel Camarinha, secretária-geral da CGTP-IN, dirigiu-se aos trabalhadores no final da manifestação, que terminou no Terreiro do Paço
Isabel Camarinha, secretária-geral da CGTP-IN, dirigiu-se aos trabalhadores no final da manifestação, que terminou no Terreiro do Paço CréditosPaulo António / AbrilAbril

A secretária-geral fala de uma central sindical herdeira de um «movimento que tem como marca indissociável a ligação aos locais de trabalho, enquanto alicerce da resposta organizada aos problemas dos trabalhadores», desde os tempos de monarquia e na primeira República, à resposta em plena noite fascista.

Isabel Camarinha, na intervenção de abertura da exposição evocativa dos 50 anos da CGTP-IN, evocou «o congresso de todos os sindicatos que, há 43 anos, marcou, pela sistematização de princípios e definição dos objectivos programáticos, uma nova etapa da nossa organização» e abordou «os princípios da democracia, da independência, da solidariedade e do sindicalismo de massas» que a CGTP-IN desenvolve com base no princípio da unidade e da pluralidade do mundo laboral.

«Uma história de que nos orgulhamos, porque nunca pactuámos com o assalto aos direitos e nunca aceitámos as teses do “mal menor”. Um movimento sindical assente em princípios estruturantes da solidariedade, da democracia e da independência, entendida e exercida em toda a sua plenitude, cuja fonte de vitalidade e força está naqueles que o constituem, constroem, rejuvenescem e o reforçam todos os dias,», conclui a líder da CGTP-IN.

No âmbito da comemoração dos seus 50 anos, a central sindical, para além da exposição que está a decorrer na Praça Luís de Camões, em Lisboa, realiza hoje, nas instalações do Inatel (Costa da Caparica), um jantar comemorativo.

Tópico