|greve

Adesão massiva a greves no Comércio

Trabalhadores da loja da H&M no centro de Braga e do Minipreço de Corroios (Seixal) estão em greve em dia de manifestação nacional da CGTP-IN.

Piquete de greve na loja da H&M na Avenida da Liberdade, em Braga. 9 de Junho de 2018
Piquete de greve na loja da H&M na Avenida da Liberdade, em Braga. 9 de Junho de 2018Créditos

Os trabalhadores da loja da H&M na Avenidade da Liberdade, em Braga, estão hoje em greve, após o anúncio do encerramento da mesma para amanhã. A loja abriu com apenas seis trabalhadores, quando lá laboram 19, no entanto, metade são externos, o que constitui uma violação à lei da greve.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritório e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN), há trabalhadores a quem está a ser proposta uma alternativa a mais de 100 quilómetros. A loja de Braga – que é a sexta da Península Ibérica em vendas – é uma das 170 lojas da H&M que deverão encerrar este ano em todo o mundo.

Piquete de greve no Minipreço de Corroios, Seixal. 9 de Junho de 2018

Em dia de manifestação nacional da CGTP-IN, também os trabalhadores da loja do Minipreço em Corroios, no concelho do Seixal, que está em vias de ser transmitida a um novo dono, em regime de franquia.

Os trabalhadores contestam a terceirização de mais uma loja da transnacional espanhola Dia em Portugal, sem que estejam clarificadas as consequências dessa decisão, nomeadamente no que diz respeito às condições de trabalho.

A adesão total ao protesto convocado pelo CESP ditou o encerramento da loja, junto à qual se realizou uma concentração em que os trabalhadores contaram com a solidariedade de elementos da Junta de Freguesia de Corroios e da Câmara Municipal do Seixal.

Tópico