|mobilidade

Redução tarifária nos transportes vai ter financiamento para todo o País

O programa de apoio à redução tarifária nos transportes públicos foi reforçado em 21 milhões de euros, garantindo abragência nacional. Manutenção do material ferroviário vai continuar condicionado.

CréditosTiago Petinga / Agência LUSA

A proposta do PCP de acréscimo de 21 milhões de euros à medida de redução de preços nos transportes públicos foi aprovada com o voto contra do PSD; todas as restantes bancadas votaram a favor.

O valor inicialmente previsto pelo Governo, 83 milhões de euros, tinha sido identificado como insuficiente para garantir a abrangência nacional pretendida. Assim, o valor dedicado ao programa, que terá início em Abril, sobe para 104 milhões de euros.

A proposta dos comunistas clarificava ainda que o valor será distribuído por todas as autoridades de transportes do País, e não apenas pelas áreas metropolitanas. As propostas do PSD e do BE sobre a mesma matéria foram ambas chumbadas.

Apesar das boas notícias pelo lado dos preços dos transportes, pelo lado da oferta há sinais de que as dificuldades sentidas nos últimos meses podem manter-se ou mesmo agravar-se. A proposta do PCP que retirava os constrangimentos impostos sobre a CP no que respeita a despesas com manutenção de material circulante foi chumbada, tal como aconteceu com as propostas do PAN e do PEV para contratação de trabalhadores para a EMEF.

Da mesma forma, as propostas do BE e do PCP que vinculavam o Governo a concretizar a renovação do material circulante do Metro de Lisboa, assim como a requalificação e manutenção dos navios e dos cais fluviais da Transtejo e da Soflusa foram rejeitadas.

Tópico