|Agro-pecuária

Produtores exigem aumento de 5 cêntimos do preço do leite

A Aprolep defende que, na reunião desta quinta-feira da Plataforma de Acompanhamento das Relações na Cadeia Agro-alimentar (PARCA), se defina uma imediata subida do valor do leite para «salvar a produção».

Manifestação foi convocada por várias associações e cooperativas agrícolas, para demonstrar «a revolta dos produtores face a mais uma descida do preço do leite»
Manifestação foi convocada por várias associações e cooperativas agrícolas, para demonstrar «a revolta dos produtores face a mais uma descida do preço do leite»CréditosJosé Coelho / Agência Lusa

A Associação dos Produtores de Leite de Portugal (Aprolep) vê «como positiva a reunião da PARCA que vai hoje decorrer, mas é essencial que todos os participantes levem propostas positivas e que dessa reunião surjam decisões para salvar a produção de leite», lê-se em comunicado.

Para os produtores, este encontro «não pode ser mais um episódio de "passa culpas" a "sacudir a água do capote", enquanto os produtores se endividam, adiam pagamentos e podem ser obrigados a reduzir a alimentação dos animais».

A associação recorda que «os produtores de leite estão há seis meses a suportar aumentos brutais nos custos de alimentação das vacas leiteiras», num contexto em que já trabalhavam com uma margem «quase nula», pois recebem «o mesmo preço há mais de 20 anos» e têm suportado «aumentos no custo da energia, da mão-de-obra e de todos os factores de produção».

A proposta é então a de que se aumente de «um preço médio de 30 cêntimos/kg para um custo que estimamos de 35 cêntimos», valor sustentado por um estudo recentemente realizado pelo Ministério da Agricultura espanhol.

Para mais, o próprio Ministério da Agricultura já reconheceu «as dificuldades que se vêm registando no sector do leite», o que leva a Aprolep a apontar como insuficientes as medidas actualmente em vigor.

«Se não houver uma resposta imediata e positiva, a luta dos produtores terá de se intensificar e endurecer», garante-se no documento.

«Perante o estado de desespero e revolta dos produtores, organizámos uma manifestação no Porto a 26 de Fevereiro e, em sucessivos comunicados, alertámos as cooperativas, as indústrias, o poder político e o sector da distribuição para o facto de estarmos há vários meses a vender o leite abaixo do custo de produção, com o pior preço da Europa», aponta-se ainda no comunicado, onde se revela que, segundo os dados mais recentes do Observatório Europeu do Leite, em Maio, a diferença do preço médio português para a média europeia foi de 5,7 cêntimos e, em Junho, terá sido de seis cêntimos.


Com agência Lusa

Tópico