|pescas

Apoio implica paragem total durante um mês seguido

Pesca de cerco com apoio durante 30 dias mas já sem sardinha

Os pescadores de cerco vão ter que parar durante 30 dias seguidos até ao final de Abril e têm um apoio de 32 euros por dia. No ano passado, o apoio diário era o mesmo, mas durante 60 dias – numa altura em que já não podem pescar sardinha.

Um pescador lança rede de pesca no navio «Afrodite», ao largo da costa de Peniche, 2 de Abril de 2015.
Um pescador lança rede de pesca no navio «Afrodite», ao largo da costa de Peniche, 2 de Abril de 2015.CréditosJosé Sena Goulão / Agência LUSA

A partir de hoje, as embarcações de pesca por arte de cerco têm até 30 de Abril para fazer uma paragem obrigatória de 30 dias, durante a qual os elementos da tripulação recebem um apoio entre os 32 e os 34 euros diários (960 ou 1020 euros pelo período).

Desde o final de Outubro que a pesca da sardinha, uma das principais e mais valorizadas espécies capturadas pela pesca de cerco, está interdita, por terem sido atingidos os limites fixados para este ano. Até Maio, as capturas de sardinha não podem exceder os 5% do total do pescado, com limite máximo de 150 kg.

Os apoios diários têm um valor igual aos de 2016, no entanto, no ano passado, a paragem obrigatória foi de 60 dias – o que significa que os apoios ascenderam ao dobro do que será pago este ano.

Os pescadores estiveram mais tempo parados mas, sem possibilidade de capturar sardinha, a pesca de cerco neste período fica remetida a outras espécies com valor muito inferior.

É o caso do carapau ou, particularmente, da cavala, cujo preço médio nas lotas de Peniche e Sesimbra foi de menos de um terço, comparativamente ao da sardinha, na última semana de Setembro, de acordo com os últimos dados da Docapesca.

Tópico