|MUSP

MUSP exige ao Governo mais investimento nos serviços públicos 

A direcção nacional do Movimento de Utentes de Serviços Públicos (MUSP) denuncia que as medidas apresentadas no Programa do Governo são insuficientes e reclama mais investimento. 

A urgente admissão dos profissionais em falta e a valorização do seu trabalho é uma das exigências dos utentesCréditos / Rádio Campanário

Foi no passado sábado que a direcção nacional do MUSP analisou a situação actual dos serviços públicos e as recentes acções das comissões de utentes em defesa dos direitos das populações, tendo concluído que as medidas apresentadas no Programa do Governo não chegam para combater a degradação dos serviços públicos. 

«As medidas são claramente insuficientes e não dão resposta aos problemas com que os serviços públicos se confrontam», refere num comunicado, onde anuncia que irá intensificar as suas acções de luta. 

Em causa está a defesa dos serviços públicos e do papel que lhes cabe tanto no desenvolvimento do País, como a nível da coesão territorial e da qualidade de vida dos portugueses.

Do conjunto de reivindicações que o MUSP irá entregar ao Governo destaca-se o alargamento da rede de cuidados de saúde primários e respectiva articulação com os cuidados hospitalares, continuados e paliativos. Ainda no plano da saúde, os utentes exigem a reabertura das valências encerradas na rede hospitalar existente, o investimento em novas infra-estruturas, a par da modernização e ampliação das actuais. 

A extinção de portagens e das parcerias público-privado, o regresso dos CTT à esfera pública, a redução do IVA na energia para 6% e a descida das taxas pagas por serviços bancários contam-se entre as reclamações que farão chegar ao Executivo do PS. 

Tópico