|Correios

Municípios algarvios lutam contra encerramento de estações dos CTT

Os municípios de Aljezur, Lagoa, Lagos e Vila do Bispo avançaram com uma providência cautelar contra o fecho de estações. O PCP questionou o Governo sobre Aljezur e a «degradação do serviço postal».

CréditosAntónio Cotrim / Agência Lusa

A Associação de Municípios Terras do Infante (Aljezur, Lagos e Vila do Bispo) avançou com uma providência cautelar para travar o encerramento das estações de Correios de Aljezur, Praia da Luz e Sagres. A decisão foi tomada pelo Conselho Directivo da associação após a reunião mantida com a Administração dos CTT no passado dia 14.

O Município de Lagoa, que não integra esta associação, também se fez representar na reunião e irá proceder como os demais, tendo em conta que os CTT pretendem fechar a estação de Carvoeiro, revela o diário Região Sul.

A delegação de autarcas que se dirigiu a Lisboa concluiu que o processo em curso «tem como finalidade primeira o encerramento» das estações referidas «ou a sua transformação em postos».

São concessionados a privados, «o que levará consequentemente à destruição, degradação e desqualificação de um Serviço Público que penalizará as populações, as pequenas e médias empresas, os turistas e comunidade estrangeira residente», denuncia a Terras do Infante.

CDU apresenta moção em Aljezur

No Munícipio de Aljezur, o vereador eleito pela CDU apresentou esta semana uma moção contra o encerramento da estação de Correios no concelho, que será debatida na próxima terça-feira.

Numa nota à imprensa, a Comissão Concelhia de Aljezur do PCP sublinha «a grande importância que a estação dos CTT», única existente no concelho, tem «para a população local que serve, nomeadamente a mais idosa, o comércio, os serviços e o turismo».

A decisão de encerrar a estação «não serve os interesses das populações» do concelho, porque vai aprofundar «a degradação dos serviços públicos num território interior», sendo que «a estação mais próxima passa a ser a de Lagos, que fica a mais de 30 quilómetros de distância», denunciam os comunistas.

PCP questiona Governo

A situação foi também denunciada, esta sexta-feira, na Assembleia da República, onde o deputado do PCP Paulo Sá, eleito pelo Algarve, questionou o ministro do Planeamento e das Infraestruturas. Sublinhando que «a privatização dos CTT, concretizada pelo anterior governo do PSD/CDS, está a conduzir, em todo o País, ao encerramento de estações de correios e à degradação do serviço postal», o texto refere o caso de Aljezur e as consequências negativas decorrentes de uma eventual concretização do encerramento da estação local dos CTT.

Os comunistas, que questionam o Executivo sobre o caso de Aljezur e as diligências que tomará para garantir que o concelho algarvio continuará a ter a sua estação de Correios, afirmam não ser «admissível que o Governo assista impávido e sereno à destruição do serviço postal, ao abandono das populações, à destruição de instrumentos de coesão territorial e social como é o serviço de correios, tudo em nome do lucro da empresa privada que tomou conta dos CTT».

Neste sentido, defendem que o Governo deve travar «o encerramento de estações de Correios e a degradação do serviço prestado às populações». Deve, de igual modo, garantir «o investimento no serviço público postal correspondente à sua importância como alavanca de desenvolvimento», iniciando «o processo de recuperação do controlo público dos CTT».

Tópico