|guerra colonial

Evocar os 60 anos da Guerra Colonial

A Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA) lançou uma Carta Aberta à sociedade portuguesa, quando passam 60 anos sobre o início da Guerra Colonial - 4 de Fevereiro de 1961.

«Guerra Colonial: exército português em operações», Fundação Mário Soares / AMS - Arquivo Mário Soares - Fotografias Exposição Permanente [disponível: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_114090 (2020-3-24)]
«Guerra Colonial: exército português em operações», Fundação Mário Soares / AMS - Arquivo Mário Soares - Fotografias Exposição Permanente [disponível: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_114090 (2020-3-24)] Créditos

A ADFA quer manter viva a memória e o sofrimento que a Guerra Colonial provocou, cujas marcas mais evidentes são os deficientes das Forças Armadas, «a força justa das vítimas de uma guerra injusta».

60 anos depois, o assinalar da data tem para a ADFA, sobretudo, a importância de avivar e partilhar memória não apenas nas escolas, mas junto de todos os jovens, nomeadamente as «mulheres e homens que constituem o Poder» e que não «tiveram que passar pelo horror da Guerra Colonial».

Apesar de marcados pelo sofrimento da guerra, os deficientes das Forças Armadas continuam a reivindicar «Dignidade e Cidadania, para, na Liberdade de Abril», sentirem que o País não só os respeita mas, sobretudo, cuida deles, saldando definitivamente «a dívida que Portugal tem para com os seus deficientes».

Tópico