|PSP

Comunistas denunciam acção da PSP contra associações pró-palestinianas

Entre os dias 20 e 24 de Novembro, agentes da PSP exigiram, presencialmente, a identificação de dirigentes de entidades e organizações pró-palestinianas. PCP exige saber «de quem partiu a ordem».

Alma Rivera, deputada do PCP, foi responsável pela «pergunta ao Governo sobre acção da PSP junto de associações que se manifestaram em defesa da paz na Palestina». 
Alma Rivera, deputada do PCP, foi responsável pela «pergunta ao Governo sobre acção da PSP junto de associações que se manifestaram em defesa da paz na Palestina». CréditosAntónio Pedro Santos / Agência Lusa

Entre os dias 20 e 24 de Novembro, várias entidades e associações na cidade de Lisboa terão sido alvo de intervenções por parte de agentes da Polícia de Segurança Pública. A PSP queria encontrar os responsáveis destas organizações para lhes pedir a identificação e os contactos. Em causa estará, alegadamente, o facto de essas organizações tomarem «posições em defesa da Palestina», refere o Grupo Parlamentar do PCP.

«À luz da Constituição da República Portuguesa e dos Direitos Fundamentais nela consagrados, é forçoso que uma acção deste tipo mereça da parte do Ministério da Administração Interna (MAI) os devidos esclarecimentos».

Os deputados comunistas anunciaram hoje ter endereçado um conjunto de perguntas ao Governo, através do MAI, para «esclarecer de quem partiu a ordem para levar a cabo estas acções», e se o MAI foi directamente «responsável por esta intervenção».

É fundamental compreender «que enquadramento operacional foi transmitido» à polícia para agirem desta forma persecutória, visando diversas associações e organizações pelas suas posições. Ainda não são conhecidos todos os alvos da PSP. 

Tem o MAI «conhecimento de alguma ameaça à segurança daqueles que se manifestam em defesa da paz na Palestina e pelos direitos do seu povo?» questiona o PCP.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui