|Banca

Cobrança de comissões sustenta banca

No sector que afastou mais de 16 mil trabalhadores desde 2008, faz-se caminho no aumento das receitas por via da cobrança de comissões, que só em 2018 renderam 9280 milhões de euros.

Créditos / radioregional.pt

Do total dos rendimentos das instituições bancárias, 32% correspondem, actualmente, à cobrança de comissões, segundo informação divulgada esta terça-feira pelo Banco de Portugal e que consta das Séries Longas – Sector bancário português 1990-2018.

O aumento dos valores das comissões constitui uma manobra que a banca exerce para tentar contrariar a redução das margens financeiras decorrentes da redução das taxas de juro e das margens de intermediação financeira, bem como da forte desaceleração do crédito, que se vem registando nos últimos anos.

Só este ano, os 154 bancos que operam em Portugal já efectivaram 788 alterações aos seus preçários de comissões e despesas. E a comissão que permite a disponibilização do cartão de débito aumentou, em seis meses, 16,7%.

Para além disso, desde 2008, o sector fechou, em todo o País, 2656 balcões e fez sair mais de 16 mil dos seus trabalhadores. Reduziram-se também em mais de 2000 o número de caixas de multibanco na última década.

Tópico