|Florestas e Desenvolvimento Rural

CNA considera abusiva a aplicação da legislação para limpeza das florestas

A CNA critica todo um edifício legislativo tendente «a aumentar a confusão e as dificuldades dos pequenos e médios produtores florestais» sem beliscar os «grandes interesses instalados».

Créditos / EpocaNegocios

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) critica o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural por «considerar os pequenos e médios agricultores e produtores florestais como os principais causadores dos incêndios florestais», tratando-se, segundo a CNA, de uma forma de sucessivos governos se desresponsabilizarem.

Em comunicado, a CNA chama a atenção para o facto de, desde o início de 2018, se estarem a verificar vítimas mortais «em queimadas acesas sobretudo por idosos assustados com aquilo que lhes é dito nesta matéria das limpezas coercivas e sob ameaça de pesadas multas».

Sublinha, além disso, a existência de todo um edifício legislativo tendente «a aumentar a confusão e as dificuldades dos pequenos e médios produtores florestais», sem beliscar os lucros e privilégios dos «grandes interesses instalados, nomeadamente a grande indústria da madeira e da cortiça».

É indispensável, na opinião da CNA, coragem política para, entre outros aspectos, se aumentar o preço da madeira e da cortiça na produção, no sentido de «estimular a "gestão activa da floresta" no respeito pelos direitos e interesse dos pequenos e médios proprietários e produtores florestais».

Tópico