Co-financiado pelo Orçamento do Estado para 2017

Futuro Hospital Central da Madeira nas mãos do Governo Regional

Depois do compromisso do Estado financiar, em sede de Orçamento para 2017 (OE2017), metade do investimento necessário para a construção do novo Hospital Central da Madeira, cabe ao Governo Regional «acelerar o processo».

Na reunião plenária, realizada ontem na Assembleia da República, o deputado do PS, Carlos Pereira, anunciou que, uma vez previsto no OE2017 o financiamento de 50% do novo hospital, deve o Governo Regional da Madeira tomar as diligências necessárias para «acelerar o processo». 

Na sua intervenção aproveitou ainda para denunciar dificuldades criadas pelo Governo Regional da Madeira, que desde logo «não reuniu os elementos necessários» para a candidatura.

A importância do investimento, que tem sido alvo de sucessivos adiamentos, foi reconhecida entre os partidos com assento na Assembleia da República que apresentaram propostas de alteração ao OE2017, designadamente o PCP, BE, PS, CDS-PP e o PSD-Madeira.

A proposta comunista defendia a cooperação do Executivo com o Governo Regional da Madeira no sentido de se tomarem as medidas necessárias à construção do novo Hospital Central da Madeira, enquanto projecto de interesse comum.

No mesmo documento explica-se que «aos serviços de saúde públicos existentes na Região Autónoma da Madeira faltam medidas geradoras de melhor capacidade de funcionamento, promotoras de outra eficiência e capazes de proporcionarem uma verdadeira regeneração do Serviço Regional de Saúde», a fim de melhorar os indicadores de Saúde das populações desta Região.

A obra da nova unidade de saúde está avaliada em 340 milhões de euros.