|Palestina

Sessões de solidariedade com a Palestina em Lisboa e no Porto

Esta segunda-feira, no Porto, e amanhã, em Lisboa, o MPPM promove a realização de iniciativas por ocasião do Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano.

Amanhã, 29, celebra-se o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano; em Portugal, há encontros agendados no Porto (hoje, 18h) e em Lisboa (amanhã, 18h) 
Amanhã, 29, celebra-se o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano; em Portugal, há encontros agendados no Porto (hoje, 18h) e em Lisboa (amanhã, 18h) Créditos / PressTV

No Porto, a Sessão de Solidariedade com o Povo Palestiniano tem lugar na Cooperativa UNICEPE, hoje, às 18h, contando com a participação de José António Gomes (escritor e membro da direcção nacional do MPPM) e Henrique Borges (professor e dirigente sindical).

Num encontro em que haverá leitura de poemas de Mahmoud Darwich e de outros autores palestinianos, participa igualmente Ilda Figueiredo (presidente da direcção nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação), Nur Rabh Latif (estudante palestiniana) e Rui Vaz Pinto (economista e presidente da UNICEPE).

Amanhã, dia 29 de Novembro, a Casa do Alentejo, em Lisboa, recebe, também às 18h, uma sessão em que o MPPM assinala o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano e homenageia José Saramago no centenário do seu nascimento, evocando o seu apoio activo à causa palestiniana e a sua contribuição para a implantação do MPPM – Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente.

Segundo revela o organismo no seu portal, o encontro será moderado por Maria do Céu Guerra (presidente do MPPM) e contará com intervenções de Nabil Abuznaid (embaixador da Palestina), do coronel Carlos Matos Gomes (escritor e militar de Abril) e de Carlos Almeida (historiador e vice-presidente do MPPM).

Resolução 181 aprovada há 75 anos pela Assembleia Geral da ONU

Em 29 de Novembro de 1947, a Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou a resolução 181, que preconizava a partição da Palestina, então sob Mandato britânico, em dois estados – um judaico e um árabe – com um estatuto especial para Jerusalém.

No entanto, lembra o MPPM, essa resolução jamais foi cumprida no que respeita à criação do Estado palestiniano. «Se logo em 1948 foi criado o Estado de Israel, nenhum Estado independente da Palestina jamais viu a luz do dia», denuncia.

Por essa razão, 30 anos volvidos, a Assembleia Geral da ONU adoptou a resolução 32/40B, que apelava à celebração do dia 29 de Novembro como o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo da Palestina.

«O colonizador britânico foi substituído por um Estado de colonos que não apenas se apropriou dum território que excedia em muito o previsto na Resolução 181 de 1947, como tem mantido, desde 1967, o restante território palestiniano sob ocupação, com uma imparável escalada de construção de colonatos, do Muro do Apartheid, de confiscação de casas e terras de palestinianos, de cerco à Faixa de Gaza, com o evidente objectivo de inviabilizar a solução dos dois Estados», alerta o MPPM.

Neste sentido, considera urgente a mobilização da solidariedade internacional e a recondução da questão palestiniana ao centro das preocupações internacionais. Da mesma forma, afirma a necessidade de «denunciar as perseguições ao activismo pró-Palestina, sob a infame e mentirosa acusação de ser expressão de anti-semitismo».

Tópico