|Líbano

Nasrallah afirma que Netanyahu «conduz israelitas para o abismo»

Destacando a gravidade dos ataques ao Líbano, o líder do Hezbollah afirmou que, em períodos eleitorais, Netanyahu precisa do sangue de libaneses, sírios, iraquianos, «pondo assim em risco a vida» dos israelitas.

Combatentes do Hezbollah colocam bandeiras do movimento de resistência e do Líbano em Yarud Arsal, em Agosto de 2017, depois da vitória sobre o Daesh
Combatentes do Hezbollah colocam bandeiras do movimento de resistência e do Líbano em Yarud Arsal, em Agosto de 2017, depois da vitória sobre o Daesh Créditos / Middle East Eye

Sayyed Hassan Nasrallah, secretário-geral do Hezbollah, disse este domingo que o movimento de resistência libanês atacará todos os drones israelitas que violarem o espaço aéreo libanês e que se esforçará por derrubá-los, sublinhando que irá evitar que se repitam no Líbano as agressões sucessivas perpetradas por Israel contra a milícia xiita Hashd al-Shaabi no Iraque.

As declarações de Nasrallah, transmitidas pela TV, foram proferidas depois de, na noite anterior, dois drones militares israelitas terem «caído» num bairro do Sul da capital libanesa, Beirute. De acordo com o dirigente do Hezbollah, que caracterizou o que se passou na noite de sábado como «uma agressão muito, muito perigosa» e «uma violação do espaço aéreo libanês», um dos drones voava a muito baixa altitude, entre os edifícios do Bairro de Muawad, pelo que os habitantes o conseguiram atingir e danificar com pedras, vindo a cair.

Um segundo drone («suicida») atingiu um gabinete do Hezbollah no Bairro de Dahieh, nos subúrbios de Beirute, tendo provocado uma grande explosão e danos materiais de monta. Nasrallah sublinhou que se trata do primeiro acto de agressão desde 2006, de «uma agressão oficial», não desmentida pela imprensa israelita.

«Netanyahu engana-se a si mesmo ao pensar que este incidente não terá consequências. Esta agressão não pode ficar sem resposta, pois isso fomentaria agressões semelhantes, como ocorreu no Iraque, onde as bases da Hashd al-Shaabi» foram atacadas cinco vezes, disse, citado pela Al-Manar e sublinhando que não lhe compete a ele dizer como o Iraque deve responder.

«Nenhum local iraniano atingido na Síria»

Sobre os ataques israelitas de sábado à noite em território sírio, o líder do movimento de resistência disse que o primeiro-ministro israelita mente quando afirma que mísseis atingiram um alvo iraniano nos arredores de Damasco. O ataque a «alvos iranianos» é uma desculpa frequente usada por Telavive para interferir na guerra de agressão à Síria, em apoio aos terroristas.

De acordo com diversas fontes, a defesa anti-aérea síria conseguiu abater seis dos oito mísseis disparados pelas forças militares israelitas. Nasrallah confirmou que foi atingida uma das «estruturas civis do Hezbollah» nos arredores da capital síria, bem como a morte de dois «resistentes libaneses», refere o portal da Al-Manar.

Dirigindo-se a Benjamin Netanyahu, o secretário-geral do Hezbollah disse: «Sabes que não brincamos quando ameaçamos.» Dirigindo-se aos israelitas, sublinhou que Netanyahu «os conduz para o abismo» e que, ao derramar o sangue dos povos do Médio Oriente em períodos eleitorais [em Israel], está a «pôr em risco a vida» dos seus compatriotas.

Ataques contra alvos palestinianos, em Gaza e no Líbano

A aviação israelita lançou este domingo ataques contra alvos da resistência palestiniana em Beit Lahia, no Norte Faixa de Gaza, alegando tratar-se de uma resposta contra o lançamento de rockets, indica a PressTV.

Também no domingo, drones israelitas atacaram uma base da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP) na localidade de Qousaya, na região libanesa de Bekaa, perto da fronteira com a Síria.

Representantes da resistência palestiniana declararam ao jornal An-Nahar que o ataque provocou danos materiais, mas não vítimas, refere a PressTV.

Tópico