|Palestina

Israel intensifica os ataques à Faixa de Gaza

Depois de uma noite de fortes bombardeamentos sobre várias partes do enclave costeiro, as tropas israelitas avançam no campo de refugiados de Jabalia, a norte, e em Rafah, a sul.

Destruição em Khan Younis, no Sul da Faixa de Gaza, em Abril de 2024 
CréditosDoaa Rouqa / Al Jazeera

Segundo refere a Al Jazeera, registam-se combates intensos entre as forças de ocupação e grupos da resistência palestiniana no campo de Jabalia, no Norte da Faixa de Gaza, onde as tropas israelitas têm estado a avançar com tanques.

A mesma fonte indica que a situação é particularmente preocupante, uma vez que as forças israelitas conseguiram cercar seis centros de evacuação em áreas densamente habitadas.

Em Rafah, no extremo Sul do território, registam-se intensos combates na zona oriental da província, que as forças israelitas de ocupação têm estado a atacar por via terrestre e aérea.

Dada a dimensão dos ataques aéreos nos últimos seis dias, fontes médicas revelaram que os feridos continuam a chegar ao hospital, mesmo com todas as dificuldades que as equipas de socorro enfrentam no terreno.

Desde que Israel mandou evacuar a zona oriental de Rafah, a 6 de Maio último, cerca de 360 mil pessoas fugiram daquela região, revelaram fontes das Nações Unidas, criticando a «deslocação forçada e desumana dos palestinianos», e sublinhando que não existe no enclave qualquer local seguro para onde ir.

Recorde-se que, em Rafah, estavam cerca de 1,4 milhões de pessoas, na sua grande maioria deslocados em busca de refúgio, no contexto da mais recente guerra de agressão israelita contra o território palestiniano cercado.

Ao longo desta noite, indica a Wafa, também se registaram bombardeamentos sobre partes da Cidade de Gaza e a zona central do enclave, que provocaram vítimas mortais e feridos.

Outros aspecto denunciado pelas autoridades palestinianas, por representantes das Nações Unidas e agências humanitárias é o encerramento da passagem fronteiriça de Rafah por parte as forças israelitas, impedindo a circulação de feridos e doentes para o Egipto, bem como a entrada de ajuda humanitária.

De acordo com as autoridades de saúde em Gaza, a ofensiva israelita contra o enclave costeiro provocou mais de 35 mil mortos e cerca de 78 mil feridos.

Mais cadáveres encontrados em valas comuns

Fontes médicas confirmaram, no sábado, a descoberta de mais 80 corpos em três valas comuns no complexo hospitalar de al-Shifa, na Cidade de Gaza, que se juntam aos já encontrados ali e noutros hospitais, após a retirada das tropas israelitas.

Ao todo, mais de 520 corpos foram encontrados em sete valas comuns nos últimos meses, sobretudo nos hospitais al-Shifa, Nasser e Kamal Adwan, referiram as fontes, explicando que, na maioria dos casos, num exame à vista, os corpos exumados parecem ser de doentes que foram privados de cuidados médicos.

«Encontrámos corpos que foram despedaçados por viaturas israelitas e cabeças sem corpos nas valas comuns do complexo de al-Shifa», disseram as fontes médicas, citadas pela Wafa.

O ministério revelou igualmente que havia evidências bastante claras de que algumas das vítimas foram executadas à queima-roupa, apresentando buracos de balas na cabeça e no peito.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui