|iémen

Iémen pode assistir a nova grande epidemia de cólera, alerta Oxfam

A organização não governamental Oxfam alertou para «o regresso massivo da cólera», quando a violência aumenta no país árabe e se aproxima a estação das chuvas, que é propícia à disseminação da doença.

Número de pessoas infectadas com cólera pode chegar a 300 mil no final de Agosto, alerta a ONU
A Oxfam já confirmou 195 mil casos suspeitos de cólera este ano no Iémen Créditos / sbs.com.au

«O povo do Iémen já sofreu o pior surto de cólera da história, em mais de quatro anos de guerra e no meio do colapso da economia», afirmou em comunicado o director da Oxfam no Iémen, Muhsin Siddiquey.

«Deixar esta doença espalhar-se novamente pelo país, provocando mais mortes desnecessárias, seria uma mácula na consciência da humanidade», disse Siddiquey, que apelou à comunidade internacional para que garanta rapidamente «o acesso seguro à ajuda humanitária de todas as pessoas necessitadas no país».

Cerca de 195 mil casos suspeitos foram confirmados este ano, uma parte dos quais em regiões de difícil acesso para a ONG referida, que vê o seu trabalho dificultado pela guerra e por restrições impostas pelos combatentes de ambas as partes – nomeadamente pontos de controlo e exigência de autorizações, segundo revela a PressTV.

Nas últimas duas semanas de Março, foram identificados cerca de 2500 casos suspeitos por dia, o que representa um aumento substancial relativamente a Fevereiro, quando eram reportados mil casos por dia.

«Nas últimas duas semanas de Março, foram identificados cerca de 2500 casos suspeitos por dia, o que representa um aumento substancial relativamente a Fevereiro»

«Isso é dez vez mais do que o número de casos reportados e mortes associadas em igual período de 2018», alertou a Oxfam, que teme que o período das chuvas que aí vem favoreça a disseminação da doença, devido às inundações e à contaminação da água.

De acordo com a Oxfam, esta doença infecciosa matou mais de 3000 iemenitas desde o surto de 2016. Em Junho de 2017, atingiu-se o número mais elevado de casos suspeitos identificados por dia: 7000. Então, a Organização Mundial da Saúde classificou a epidemia de cólera no Iémen como a pior na história.

As Nações Unidas têm denunciado os ataques continuados da coligação liderada pela Arábia Saudita a sistemas de captação e/ou tratamento de água no Iémen, na medida em que impedem as populações de acederem à água e aumentam as probabilidades de alastramento de doenças transmitidas através da água, num país devastado pela guerra de agressão saudita, iniciada em Março de 2015.

De acordo com as estimativas recentes da ACLED (Armed Conflict Location & Event Data), a guerra de agressão ao Iémen provocou mais de 60 mil mortos.

Tópico