|Imperialismo

«Fenómenos caóticos» no mundo causados por «potência» que «aplica política de força»

Para responder a estas acções, a China apela à defesa do «papel central da Organização das Nações Unidas nos assuntos internacionais», de uma ordem mundial assente no direito internacional.

Navios militares dos EUA em manobras no ar do Sul da China
Navios militares dos EUA em manobras no ar do Sul da China Créditos / gCaptain.com

Os «fenómenos caóticos» no mundo são causados por uma «potência» que «aplica uma política de força» e impõe as suas regras, denunciou esta quarta-feira o ministro da Defesa Nacional da China, Wei Fenghe, durante a IX Conferência de Moscovo sobre Segurança Internacional.

«Hoje em dia, o mundo caracteriza-se por ser caótico», o que tem origem no facto de «uma potência, esquecendo-se de tudo e movida apenas pelo pensamento da Guerra Fria, aplicar uma política de força, pôr acima de tudo a sua hegemonia, unilateralismo e intervencionismo», comentou o ministro chinês, citado pela RT.

Wei Fenghe disse que esse país «impõe as suas regras e a sua vontade a outros países, interfere nos assuntos internos de outros estados e, com ou sem razão, aplica políticas de contenção, separação, bloqueio, impõe sanções e manipula a opinião pública, realiza revoluções coloridas para mudar as autoridades e os governos legítimos em vários países».

Para responder a estas acções, o ministro apelou à defesa do «papel central da Organização das Nações Unidas nos assuntos internacionais», de uma ordem mundial assente no direito internacional.

Por seu lado, sublinhou Wei Fenghe, «a China jamais aspirará à hegemonia no mundo nem à sua expansão».

De acordo com o Ministério chinês da Defesa, o país asiático está preparado para desenvolver relações com os EUA tendo por base os princípios do «benefício mútuo» e do «não conflito».

Tópico