|Síria

Exército sírio avança em direcção à fronteira com a Jordânia

As tropas do Exército sírio prosseguiram o avanço em direcção ao posto fronteiriço de Nassib, na província de Daraa, tendo libertado várias localidades nas últimas horas.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/7680.jpg?itok=_PBJC5QI
As tropas do Exército Árabe Sírio já libertaram mais de 60% da província de Daraa e estão à beira da Jordânia (foto de arquivo)
As tropas do Exército Árabe Sírio já libertaram mais de 60% da província de Daraa e estão à beira da Jordânia (foto de arquivo)Créditos / iraqinews.com

No contexto da ofensiva contra-terrorista no Sudoeste do país, as forças do Exército Árabe Sírio (EAS) encontram-se a poucos quilómetros do posto fronteiriço de Nassib, sendo a primeira vez nos últimos seis anos que as tropas de Damasco se aproximam tanto da fronteira com a Jordânia na província de Daraa, informa a agência SANA.

No seu avanço para Sul, o Exército sírio conseguiu libertar 11 aldeias, nalguns casos após intensos combates com as forças terroristas do Daesh, da Frente al-Nusra e dos membros do chamado Exército Livre Sírio (ELS).

Apoiadas pela aviação, as tropas do EAS conseguiram libertar al-Naimah, última localidade a leste da cidade de Daraa, onde combateram e eliminaram o que ali restava das forças do ELS e da Frente al-Nusra, expondo ainda mais a capital da província.

A libertação de al-Naimah ocorreu poucas horas depois da captura da cidade vizinha de Saida, localizada dez quilómetros a leste de Daraa e que também estava em poder das tropas do ELS e dos seus aliados.

De acordo com a PressTV, os terroristas sofreram pesadas baixas, tendo alguns conseguido fugir para as localidades de al-Mitayiah e al-Taybah – para onde as forças do EAS agora se dirigem.

As tropas sírias conseguiram ainda recapturar e reabilitar uma base aérea nesta zona a leste da cidade de Daraa, que estava inactiva há quatro anos, na sequência de ataques dos grupos terroristas apoiados por Israel, os EUA, o Reino Unido e a França, entre outros.

Acompanhadas por elementos da Polícia Militar russa, conseguiram, para além disso, estabelecer um posto de observação fronteiriço, indica a Prensa Latina.

Terroristas entregam armamento pesado em Busra al-Sham

Uma fonte militar síria disse à Sputnik que, «graças aos esforços dos militares russos, os "jihadistas" em Busra al-Sham entregaram às forças governamentais um tanque, uma viatura de combate e uma arma de artilharia».

Busra al-Sham, conhecida pelo importante património histórico e arqueológico que possui, é um dos bastiões dos terroristas. Detém grande valor estratégico, uma vez que fica no limite com a província de Suwayda e a poucos quilómetros da Jordânia.

De acordo com a Al-Mayadeen, mais de 60% da província de Daraa foi libertada da presença de grupos terroristas, na sequência de combates ou depois de os seus membros se terem rendido, entregado as armas e munições, e sido evacuados da região.

Entre o armamento abandonado pelo Daesh em Daraa, havia tanques T-62, sistemas de defesa anti-aérea, 40 mísseis guiados e muitas outras munições de fabrico norte-americano, alemão, francês e australiano, revela ainda a Al-Mayadeen.

Tópico