|E o mundo é a nossa tarefa

Quanto, Quanto me Queres?

E o mundo é a nossa tarefa é uma escolha semanal de Manuel Augusto Araújo.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/fbe461-triptych-1983-thb-fb-bl-tw.jpg?itok=-Jm0VJQw
Triptico, Francis Bacon, 1983
Triptico, Francis Bacon, 1983CréditosFrancis Bacon

Quanto, quanto me queres?

Quanto, quanto me queres? — perguntaste
Numa voz de lamento diluída;
E quando nos meus olhos demoraste
A luz dos teus senti a luz da vida.

Nas tuas mãos as minhas apertaste;
Lá fora da luz do Sol já combalida
Era um sorriso aberto num contraste
Com a sombra da posse proibida...

Beijámo-nos, então, a latejar
No infinito e pálido vaivém
Dos corpos que se entregam sem pensar...

Não perguntes, não sei — não sei dizer:
Um grande amor só se avalia bem
Depois de se perder.

António Botto

Tópico

0 Comentários

no artigo "Quanto, Quanto me Queres?