A Invenção do Amor

E o mundo é a nossa tarefa é uma escolha semanal de Manuel Augusto Araújo

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/sobre_a_cidade_marc_chagall.jpg?itok=Dnd_LC6y
Sobre a Cidade, Marc Chagall
Sobre a Cidade, Marc ChagallCréditosMarc Chagall

A Invenção do Amor

(excerto)

Em todas as esquinas da cidade
nas paredes dos bares à porta dos edificios públicos nas janelas
      dos autocarros
mesmo naquele muro arruinado por entre anúncios de aparelhos
      de rádio e detergentes
na vitrine da pequena loja onde não entra ninguém
no átrio da estação de caminhos de ferro que foi o lar da nossa
esperança de fuga
um cartaz denuncia o nosso amor

Em letras enormes do tamanho
do medo da solidão da angústia
um cartaz denuncia que um homem e uma mulher
se encontraram num bar de hotel
numa tarde de chuva
entre zunidos de conversa
e inventaram o amor com carácter de urgência
deixando cair dos ombros o fardo incómodo da monotonia
      quotidiana
Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome
      de ternura
e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado

Não saíram de mãos dadas para a humidade diurna
Despediram-se e cada um tomou um rumo diferente
embora subterraneamente unidos pela invenção conjunta
de um amor subitamente imperativo

Um homem e uma mulher um cartaz de denúncia
colado em todas as esquinas da cidade
A rádio já falou A TV anuncia
iminente a captura A polícia de costumes avisada
procura dois amantes nos becos e avenidas
Onde houver uma flor rubra e essencial
é possível que se escondam tremendo a cada batida na porta
      fechada para o mundo
É preciso encontrá-los antes que seja tarde
Antes que o exemplo frutifique    Antes
que a invenção do amor se processe em cadeia.

Daniel Filipe

0 Comentários

no artigo "A Invenção do Amor