|cinema

DocLisboa regressa às salas de cinema

O festival dedicado ao documentário decorre entre os dias 31 e 31 de Outubro em várias salas da capital. A resistência jugoslava anti-nazi é o tema que marca a abertura da 19.ª edição. 

Fotograma de «Alcindo», de Miguel DoresCréditos / PPL

Depois de uma edição condicionada pela epidemia, o festival DocLisboa regressa ao formato em sala de cinema com 249 filmes, entre retrospetivas, competições e várias estreias mundiais, em busca de «uma experiência absolutamente colectiva» com o público.

«Queremos um festival em que todos os seus espaços sejam vivos e activos, uma experiência absolutamente colectiva e de partilha de ideias e pontos de vista», defendeu hoje a direcção do DocLisboa, na apresentação da programação.

Landscapes of resistance, da realizadora sérvia Marta Popivoda, sobre uma mulher que liderou um movimento jugoslavo anti-nazi, abre a 19.ª edição do festival. O filme centra-se no testemunho e na partilha de memórias de Sofija Sonja Vujanovic, de 97 anos, uma das primeiras mulheres a fazer parte da resistência jugoslava anti-nazi, na II Guerra Mundial, recordando ainda a captura e tortura em Auschwitz.

Na sessão de abertura será também exibida a curta-metragem A Terra segue azul quando saio do trabalho, do realizador brasileiro Sérgio Silva, ex-programador da Cinemateca Brasileira. Segundo o festival, Sérgio Silva apresentará ainda uma sessão dedicada à Cinemateca Brasileira, cujo edifício em São Paulo foi atingido recentemente por um incêndio.

Entre os 46 filmes portugueses seleccionados está, por exemplo, Alcindo, filme do antropólogo Miguel Dores sobre racismo em Portugal, a partir da história do homicídio de Alcindo Monteiro, português de origem cabo-verdiana, vítima de ódio racial em 1995.

Destaque ainda para a exibição do documentário Eunice ou carta a uma jovem actriz, de Tiago Durão, sobre Eunice Muñoz, e de Dispersos pelo centro, de António Aleixo, sobre a região Centro de Portugal. Em parceria com a Cinemateca Portuguesa, o Doclisboa apresentará também uma cópia restaurada do filme Nazaré, praia de pescadores (1929), de Leitão de Barros, numa exibição acompanhada pelo pianista Filipe Raposo. 

Noutras secções, o festival programará Jane by Charlotte, da actriz Charlotte Gainsbourg, sobre a relação com a mãe, Jane Birkin; a minissérie Uprising, de Steve McQueen e James Rogan, produzida pela BBC; estreará Jamaika, documentário de José Sarmento Matos sobre a vida do bairro da Jamaica, no Seixal, durante o confinamento; e mostrará The story of looking, de Mark Cousins.

O DocLisboa decorrerá na Culturgest, Cinema são Jorge, Cinemateca Portuguesa, Cinema Ideal, Cinema City Campo Pequeno, Museu do Oriente e Museu do Aljube.


Com agência Lusa

Tópico