|E o mundo é a nossa tarefa

Disse-me o Cego na Estrada

E o mundo é a nossa tarefa é uma escolha semanal de Manuel Augusto Araújo.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/os_cegos_pieter_brueghel.jpg?itok=cNMtoH-i
Os Cegos, Pieter Brueghel
Os Cegos, Pieter BrueghelCréditosPieter Brueghel

Disse-me o Cego na Estrada

Disse-me o cego na estrada,
sem nenhum constrangimento,
que andar à beira do abismo
é dificil, mas que a luz
avisa, fora das pálpebras,
e a direcção se conhece
pela brisa sobre a barba.

Ele andava pelos muros,
à beira dos precipícios,
funâmbulo e equilibrista,
com o vento aberto na barba
e o sol nas fanadas pálpebras.

Os videntes caminhavam
agarrando o muro e o chão,
pisando a sombra do cego
e as palavras que dizia.

Se algum vidente caísse,
com toda a certeza, o cego
rápido o levantaria.

Cecília Meireles

Tópico

0 Comentários

no artigo "Disse-me o Cego na Estrada