|Sugestões culturais

Com preocupações ambientais e quanto ao futuro

Enorme vitalidade nas artes plásticas, com preocupações ambientais e quanto ao futuro. «CO2» de Maria Tomé, “Visionary Playground” de Juma Bastos, «Ilha de Bruma» de João Pacheco e coletiva no MACE.

Exposição colectiva «2012|2020», no MACE em Elvas, até 3 de Janeiro de 2021
Exposição colectiva «2012|2020», no MACE em Elvas, até 3 de Janeiro de 2021Créditos / MACE

O Museu Municipal de Faro1 abriu ao público em 1897 no edifício dos Paços do Concelho. O edifício onde este museu se encontra atualmente foi o antigo Convento de Nossa Senhora da Assunção, a sua construção inicia-se em 1519, depois vem a ser uma fábrica de cortiça em 1860 e foi adquirido pelo município de Faro em 1960, e só em 1973 é que é inaugurado o Museu Municipal neste espaço.

O Museu Municipal de Faro tem na sua actual programação a exposição «CO2 - Exposição de Maria Tomé», podendo ser visitada até 2 de agosto. Numa entrevista ao jornalista Paulo Moreno2, Maria Tomé refere que os trabalhos apresentados nesta exposição pertencem a um projeto já iniciado há cerca de quatro ou cinco anos. Tendo como base a fotografia e privilegiando como tema a natureza, a artista realiza uma reciclagem de imagens de revistas de moda e intervém sobre a fotografia através das técnicas de pintura acrílica, découplage/collage, com aplicação de folha de ouro e folha de prata. Nestes trabalhos a artista chama a atenção para questões do ambiente, como a poluição, a superlotação nas megacidades e, principalmente, para a desflorestação e para o perigo que isso representa para o nosso ecossistema, quanto à importância das florestas na produção de boa parte do oxigênio da atmosfera. Embora não se trate de uma exposição realizada intencionalmente sobre ou durante a crise pandémica ela contém algumas das preocupações que vieram à discussão durante este período.

«CO2 - Exposição de Maria Tomé», no Museu Municipal de Faro, até 2 de Agosto Créditos

Maria Tomé, nasceu em Faro (1961), parte para França, destacando-se o período em que foi assistente de fotografia de James Lignier (1981 a 1987) e depois quando frequenta o Centro artístico «Hôpital Éphémère» durante oito anos (1991 a 1998). Além da sua atividade como fotógrafa de moda realiza muitas exposições individuais e participa em coletivas desde 1986 em França, nas quais expõe trabalhos onde explora diversas linguagens e técnicas como a fotografia, a instalação, a performance e a découplage/collage. De volta a Portugal, em 2015, trabalha com o grupo artístico »Aderita Artistique Space» em Almancil e em 2019 participa no projeto «ENTROPIA» no CECAL–Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé.

O Museu Municipal de Espinho3 está instalado na antiga fábrica de conservas Brandão, Gomes & C.ª e atual Fórum de Arte e Cultura e Espinho (FACE). O Museu de Espinho foi inaugurado em 2009, possui diversas coleções arqueológicas, históricas, artísticas, etnográficas e documentais sobre a memória e história local, que são mostradas nas exposições permanentes, desenvolvendo ainda, projetos e exposições temporárias de interesse artístico.

No Museu Municipal de Espinho, decorre, até 14 de agosto, a exposição "Visionary Playground" de Juma Bastos, que apresenta trabalhos à volta das artes da música, pintura e design. Juma Bastos tem 22 anos, é natural de Esmoriz, designer e fundadora da Switch Studio. Juma Bastos aprendeu técnicas de desenho e pintura, que mais tarde vêm influenciar as suas composições no Design Gráfico. «Esta exposição demonstra a viagem da artista neste mundo, uma fusão das técnicas tradicionais com o digital... uma análise ao passado, com um vislumbre do que aí vem».

Exposição "Visionary Playground" de Juma Bastos, no Museu Municipal de Espinho, até 14 de Agosto Créditos

A Fortaleza de Santiago, em Sesimbra, foi construída no século XVII, obra dirigida pelo arquiteto e engenheiro militar de origem flamenga João de Cosmander. A Fortaleza, que na altura teve como função principal criar uma nova estratégia de defesa costeira, veio posteriormente a ser ocupada pela Guarda Fiscal em 1879, posteriormente foi entregue à Alfândega e nos finais do século XX reverte para a Guarda Nacional Republicana. Em 2006, depois de apresentado um projeto de requalificação pelo município, a Fortaleza abriu à população e em 2014 é inaugurada a obra de requalificação que teve como principal objetivo possibilitar a implementação de um programa de ocupação com várias valências culturais.

No dia 17 de agosto, na Sala Multiusos da Fortaleza de Santiago4 em Sesimbra, inaugura a Exposição de Fotografia «Ilha de Bruma – São Miguel, Açores» de João Artur Pacheco, que pode ser visitada até 29 de agosto. No texto da exposição refere tratar-se de um «olhar sobre uma terra resiliente e misteriosa, perpetuando um equilíbrio, muitas vezes perturbado por uma natureza, tanto agreste, como bonançosa. Olhar sobre uma paisagem telúrica, basáltica, moldada pelo Homem, numa constante dança entre os 4 elementos primordiais. Olhar… e ver…»

O Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE) é uma instituição com tutela municipal, foi inaugurado em 2007 e está instalado num edifício de grande valor patrimonial, numa cidade reconhecida como Património Mundial pela UNESCO. O MACE promove, nacional e internacionalmente, a arte contemporânea produzida por artistas portugueses, acolhendo em depósito a Coleção António Cachola, dedicada, em exclusivo, à produção artística portuguesa, refletindo os últimos 25 anos de criação, que é atualmente «composta por mais de seiscentas e cinquenta obras de mais de uma centena de artistas», demostrando a enorme vitalidade criativa nas artes plásticas, no nosso país, na atualidade, embora com algumas preocupações quanto ao futuro. A programação do MACE alarga-se também à exibição de outras coleções de arte, Serralves, Culturgest, Berardo, MEIAC-Museu Estremenho e Ibero-americano de Arte Contemporânea, entre outras, assim como tem apresentado diversas exposições individuais de artistas portugueses. O MACE desenvolve também um conjunto de atividades pedagógicas destinadas aos mais diversos públicos.

Exposição de fotografia «Ilha de Bruma – São Miguel, Açores», de João Artur Pacheco, na Sala Multiusos da Fortaleza de Santiago em Sesimbra, até 29 de Agosto Créditos

O MACE5 inaugurou a exposição «2012|2020» em 18 de janeiro, com obras da Coleção António Cachola, que irá decorrer até 03 de janeiro de 2021. Nesta exposição pode conhecer as obras adquiridas durante o período de 2012 a 2020, entre esculturas, pinturas, desenho, fotografias, instalações e vídeos. São mostrados 30 artistas : Alice Geirinhas, Ana Jotta, Ana Manso, Ana Pérez-Quiroga, Ana Santos, Andreia Santana, António Neves Nobre, Augusto Alves da Silva, Bruno Cidra, Carla Filipe, Carlos Nogueira, Catarina de Oliveira, DEALMEIDA ESILVA, Diana Policarpo, Diogo Evangelista, Fernanda Fragateiro, Igor Jesus, Joana Escoval, Joana Vasconcelos, Jonathan Saldanha, João Gabriel, João Marçal, João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, Julião Sarmento, Mané Pacheco, Mariana Calé e Francisco Queimadela, Mauro Cerqueira, Nuno Gil, Priscila Fernandes, Rita Ferreira, Rui Neiva e Tiago Alexandre.

A exposição não está apenas presente nas galerias do MACE, mas ocupará também outros espaços culturais de valor histórico e patrimonial da cidade, nomeadamente o Paiol Nossa Senhora da Conceição6; a Biblioteca Municipal de Elvas Dr.ª Elsa Grilo7 e o Forte da Graça8, contribuindo assim para valorizar a cultura local e aproximar os artistas portugueses do público local. No Paiol Nossa Senhora da Conceição está instalado o trabalho de João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, na Biblioteca pode ver o trabalho de Julião Sarmento, já no Forte da Graça estará o trabalho de Priscila Fernandes, os restantes estão no MACE.

  • 1. Museu Municipal de Faro. Largo D. Afonso III, n.º 14, 8000-167 Faro. Horário: terça-feira a sexta-feira das 10h às 18h; sábado e domingo 10.30h às 17h.
  • 2. Entrevista de Paulo Moreno a Maria Tomé, no diáriOnline Região Sul.
  • 3. FACE-Museu Municipal de Espinho, Rua 41/Av. João de Deus, Espinho. Horário; segunda-feira a sexta-feira das 10h às 17h; sábado das 10h às 13.30h e das 14.30h às 18h.
  • 4. Sala Multiusos da Fortaleza de Santiago, Rua da Fortaleza, 2970-738 Sesimbra. Horário: todos os dias das 18h às 20h.
  • 5. Museu de Arte Contemporânea de Elvas-MACE, Rua da Cadeia, 7350-146 Elvas. Horário de Verão (Abril a Setembro): terça-feira das 14h às 18h; quarta-feira a domingo das 11h às 18h. Encerra à segundas-feira todo o dia e à terça-feira de manhã.
  • 6. O Paiol da Conceição, obra de Cosmander, construído no séc. XVII, tinha como função o armazenamento da pólvora necessária para o exército. Morada: Avenida 14 de Janeiro, n.º 7A, 7350 Elvas.
  • 7. Biblioteca Municipal de Elvas Dra. Elsa Grilo. Rua dos Apóstolos, n.º 1, 7350 Elvas. Horário: segunda-feira a sexta-feira: 9h às 13h e das 14h às 17h; sábado das 10h às 13h.
  • 8. Exemplo notável da arquitetura militar do séc. XVIII e considerada por muitos historiadores como uma das mais poderosas fortalezas abaluartadas do mundo, o Forte da Graça ou de Lippe é ainda original pela sua conceção e implantação. Morada: Forte da Graça. Forte de Nossa Senhora da Graça, 7350 Elvas.

Tópico