|literatura

Al-Mu'tamid e Adalberto Alves em destaque na Biblioteca Nacional

Duas mostras, dedicadas ao poeta árabe do al-Andalus e ao estudioso arabista português, estão patentes ao público até 9 de Maio na Sala de Referência da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP).

Cartaz de apresentação da exposição «Al-Mu'tamid: poeta do Gharb al-Andalus», em exibição desde 3 de Fevereiro
Cartaz de apresentação da exposição «Al-Mu'tamid: poeta do Gharb al-Andalus», em exibição desde 3 de Fevereiro Créditos / BNP

Al-Mu'tamid ibn 'Abbād (Beja, 1040 – Agmate, 1095), poeta árabe do al-Andalus e rei de Sevilha durante o período islâmico medieval da Península Ibérica, é homenageado na mostra «Al-Mu'tamid: poeta do Gharb al-Andalus», com a qual se pretende destacar a figura do poeta, a sua ligação às cidades de Beja e Silves no Ocidente peninsular (em árabe, Gharb al-Andalus), e ainda aspectos da sua recepção e interpretação, tanto em Portugal como a nível internacional e interdisciplinar, segundo informação divulgada pela BNP.

No texto de apresentação da exposição, patente ao público desde 3 de Fevereiro, em Lisboa, afirma-se que «os versos de al-Mu'tamid, a sua vida e as suas peripécias ao longo dela – sobretudo com o seu amigo, grão-vizir e poeta de Silves, Ibn 'Ammār (1031–1086) – têm inspirado muitos autores, intelectuais, artistas e músicos ao longo dos séculos e nas várias culturas do mundo».

Destes, a mostra destaca Fernando Pessoa e o intelectual e político andaluz Blas Infante Pérez, tendo ambos contribuído, nos 20 do século passado, para a salvaguarda do legado cultural do próprio al-Mu'tamid.

A mostra ressalta ainda trabalhos de estudiosos, tradutores, historiadores e arabistas contemporâneos portugueses, entre os quais Garcia Domingues, António Borges Coelho e Adalberto Alves.

«Adalberto Alves: 40 anos de vida literária»

No mesmo período da mostra sobre al-Mu'tamid decorre uma outra que pretende dar conta das várias dimensões da obra e da figura do poeta, tradutor e ensaísta Adalberto Alves, que «tem desempenhado um importante papel no que respeita à interpretação e à divulgação do legado árabe e islâmico em Portugal e na cultura universal», segundo assinala o texto de apresentação.

Capa de 'O Meu Coração É Árabe', de Adalberto Alves (edição de 2016) Créditos

Como reconhecimento pelo seu mérito, em 2008 foi-lhe atribuído o Prémio UNESCO-Sharjah para a Cultura Árabe, que é conferido a «indivíduos, grupos ou instituições que, através do seu trabalho e realizações notáveis, se esforçam para disseminar um maior conhecimento da arte e da cultura árabes», explica ainda o texto.

Ambas as mostras são comissariadas pelos investigadores e docentes Fabrizio Boscaglia e Maria João Cantinho, bem como pelo tradutor Hugo Maia.

Às duas estão associadas visitas de estudo e actividades de extensão, nomeadamente, a 29 de Fevereiro, o passeio guiado (a pé por Alfama e Mouraria) «Lisboa Árabe», por Natália Nunes; a projecção do filme Al-Mu'tamid: o destino de um príncipe, no dia 11 de Março; a sessão de leitura de poemas de al-Mu'tamid e Adalberto Alves, a 8 de Abril; e a jornada de estudos «Poesia e cultura luso-árabe», a 7 de Maio.

Tópico