|repressão sindical

Vista Alegre impede reunião sindical

A Vista Alegre Atlantis, no distrito de Leiria, impediu a entrada de dois dirigentes do sindicato vidreiro para reunião com a Comissão Sindical da fábrica por causa do «agravamento da crise pandémica».

Créditos / Região de Cister

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Vidreira (STIV/CGTP-IN) afirma, através de comunicado, que foi requerida a intervenção da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) com vista à «reposição da legalidade (actual e futura) e sancionamento da conduta adoptada em violação da actividade sindical na empresa».

A estrutura sindical adianta que a Vista Alegre Atlantis justificou a decisão de proibir a reunião nas instalações do Casal da Areia com «motivos ligados ao agravamento da actual crise pandémica», salientando que «não tem sido permitida a entrada/presença de pessoas exteriores à unidade industrial».

O STIV respondeu que, «inexistindo fundamentação legal», iria manter a reunião, «cumprindo, como sempre, todas as regras sanitárias», mas a empresa manteve a proibição, o que no entender do sindicato constitui uma «gravíssima violação do direito ao exercício de actividade sindical», nos termos consagrados na lei e na Constituição da República.

Tópico