|transmissão de estabelecimento

Vigilantes protestaram na Amadora em defesa dos postos de trabalho

O concurso respeitante à prestação de serviços de vigilância do Hospital da Amadora foi ganho pela empresa Noite e Dia, que não pretende respeitar os direitos dos 50 vigilantes que ali trabalham.

O STAD afirma-se contra o despedimento colectivo na Prosegur
Créditos / ManchetePB

Os trabalhadores vigilantes das empresas Prosegur e Noite e Dia, concentraram-se junto à entrada principal do Hospital da Amadora, na passada segunda-feira, em luta pela aplicação da transmissão de estabelecimento.

Constante do Código do Trabalho, a transmissão de estabelecimento garante aos trabalhadores a manutenção dos postos de trabalho nas situações de substituição de empresa contratada.

Em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas  e Actividades Diversas (STAD/CGTP-IN) denunciou que, neste hospital, a Prosegur foi substituída pela Noite e Dia, que deveria ter integrado, com todos os direitos de que beneficiavam, os cerca de 50 trabalhadores que ali tinham os seus postos de trabalho.

Isabel Camarinha, secretária-geral da CGTP-IN, esteve presente na concentração de trabalhadores, numa demonstração de solidariedade.

Tópico