|actividade sindical

Trofa Saúde impede actividade sindical

Já em duas ocasiões a direcção do Trofa Saúde decidiu impedir o CESP de contactar com os seus trabalhadores, impedindo o direito constitucional à liberdade sindical.

Créditos / diariodetrasosmontes.com

A Trofa Saúde, nos seus Hospitais da Amadora e de Loures, abertos recentemente, já impediu por duas vezes o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN) de contactar com os trabalhadores.

O sindicato denuncia, em nota enviada à imprensa, que no passado dia 16 de Setembro, delegados e activistas foram impedidos de realizar acções próprias da sua actividade sindical, com o compromisso das chefias que, noutro dia, seriam disponibilizadas as condições necessárias para o efeito.

Não obstante, «lamentavelmente, a palavra não chega para alguns» e no dia 31 de Outubro o sindicato foi novamente impedido de entrar nas instalações para dialogar com os trabalhadores, tendo inclusivamente chamado as autoridades policiais para registar a ocorrência.

Na nota, o CESP questiona «qual o motivo da Trofa Saúde para tentar impedir que o CESP esclareça os trabalhadores dos seus direitos?» e sugere que pode estar em causa a não aplicação a todos os trabalhadores da convenção colectiva em vigor celebrada pelo sindicato e pela na Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, na qual A Trofa Saúde é filiada.

O CESP já apresentou queixa na Autoridade das Condições do Trabalho, tendo solicitado a sua rápida intervenção para defesa do direito constitucional e consagrado no Código do Trabalho de que os trabalhadores e os sindicatos têm direito a desenvolver actividade sindical nas empresas, «direito conquistado com o 25 de Abril».

Tópico