|indústria automóvel

Trabalhadores rejeitam cortes salariais na Continental Mabor

Os trabalhadores da fábrica de pneus não aceitam os cortes salariais que a multinacional pretende impor por via de alterações nos horários, eliminando o trabalho no fim-de-semana.

Créditos / SITE NORTE

Num momento em que a empresa deveria assumir a sua responsabilidade social e apoiar os trabalhadores, o que procurou foi precisamente o contrário: aproveitar o momento para cortar nos direitos dos trabalhadores.

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Norte (SITE Norte/CGTP-IN) salienta em comunicado que uma empresa que apresentou mais de 200 milhões de euros de lucros em 2019 não pode tentar cortar nos salários dos trabalhadores «a reboque» do surto epidémico de Covid-19.

João Ferreira, deputado do PCP no Parlamento Europeu, esteve esta segunda-feira com os trabalhadores da Continental Mabor que estão em protesto contra a redução do salário e alteração dos horários de trabalho. São cerca de 650 funcionários da empresa que trabalham no turno do fim-de-semana.

O deputado comunista mostrou-se solidário com a luta destes trabalhadores, que considera «justa», e promete levar estas reivindicações até ao Parlamento Europeu.

«Estamos a falar de uma empresa que, ao longo dos anos, tem vindo a beneficiar de generosos apoios públicos, inclusivamente, financiamentos da União Europeia. A utilização deste tipo de apoios públicos tem por condição o respeito pelos direitos dos trabalhadores», sublinhou o deputado.

Tópico