|banco de horas

Banco de horas: horário de trabalho em função do lucro

O Pingo Doce vai referendar a instituição do banco de horas grupal, que, a ser aprovado, porá em causa o direito ao descanso, denuncia o CESP.

Acção de denúncia dos trabalhadores no Pingo Doce do Alverca Park, 18 de Outubro
Acção de denúncia dos trabalhadores no Pingo Doce do Alverca Park, 18 de OutubroCréditos / CESP

Os trabalhadores devem dizer «não» à instituição do banco de horas grupal no Pingo Doce e na Jerónimo Martins, defende o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços (CESP/CGTP-IN) em comunicado distribuído nos locais de trabalho.

O CESP denuncia as intenções do referendo, que terá lugar entre os dias 16 de Julho e 3 de Agosto, classificando o banco de horas como mais uma forma de a empresa «dispor do tempo» do trabalhador e da sua vida pessoal e familiar «conforme lhe interessa».

O sindicato afirma ainda que aprovar este regime é aceitar que a empresa disponha do tempo de quem trabalha «em função das suas vendas, dos seus lucros e dos seus interesses».

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui