|transportes

Trabalhadores dos TST exigem aumentos salariais

Reunidos em plenário, os trabalhadores dos Transportes Sul do Tejo decidiram avançar com uma greve de 48 horas, caso não haja uma resposta satisfatória da administração aos aumentos salariais.

Utentes denunciam a existência de autocarros «fora do prazo de utilização»
Utentes denunciam a existência de autocarros «fora do prazo de utilização»Créditos / cibersul

Os trabalhadores dos Transportes Sul do Tejo, detida pelo grupo Arriva e com actividade em vários concelhos da Península de Setúbal, decidiram hoje mandatar a Comissão de Trabalhadores para enviar as reivindicações.

A decisão é comunicada numa nota disponibilizada no site do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos (STRUP/CGTP-IN), na qual lê-se que é dado 15 dias à administração dos TST, a partir da próxima segunda-feira, para responder de forma satisfatória às reivindicações. 

Entre estas, os trabalhadores dos TST exigem 750 euros de tabela salarial, 15 euros de diuturnidades e oito euros de subsídio de refeição, assim como a integração do agente único na tabela, a eliminação das pausas técnicas e a integração das folgas rotativas para todos, sem prejuízo das folgas fixas.

«Caso se verifique a ausência ou uma resposta insatisfatória, os trabalhadores mandatam os sindicatos para marcarem mensalmente uma greve de 48 horas em dias diferentes», lê-se, estando a primeira greve apontada para 13 e 14 de Março

Tópico