|transportes

Trabalhadores desconvocam greve no Metro de Lisboa

Os trabalhadores do Metro de Lisboa decidiram esta segunda-feira, em plenário, desconvocar as greves marcadas para 6 e 8 de Novembro, em virtude da nova proposta apresentada pela administração.

O Metropolitano de Lisboa tem vindo a prestar um serviço de transporte público cada vez mais distante das necessidades da cidade
O Metropolitano de Lisboa tem vindo a prestar um serviço de transporte público cada vez mais distante das necessidades da cidadeCréditos

A decisão é divulgada esta tarde pela Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), estando suspensos os pré-avisos de greve marcados para ambos os dias e que afectariam a circulação do Metro entre as 6h e as 9h.

Segundo a Fectrans, o conselho de administração do Metro de Lisboa entregou ontem uma proposta relativa às negociações, que foi levada ao plenário geral de trabalhadores realizado hoje. Apesar de não ir ao encontro da totalidade das reivindicações, a mesma foi aprovada pelos trabalhadores.

«É um acordo com responde à reivindicação de aumento dos salários, de prolongamento da vigência do acordo de empresa, de admissão de mais 30 trabalhadores e que continua com um espaço de negociação da revisão da regulamentação de carreiras», lê-se.

Na última greve, cuja adesão foi quase total, os trabalhadores contestaram a vontade do conselho de administração do Metro de Lisboa em realizar apenas uma actualização salarial plurianual (2018/2019) de 24,50 euros e a sua rejeição em prolongar por mais 12 meses o acordo de empresa. As estruturas sindicais afirmaram que «não podem aceitar este aumento salarial para dois anos, porque na prática isto corresponde a um aumento de zero para 2019».

De igual forma, a greve ao trabalho extraordinário em curso foi também desconvocada.

Tópico