|Indústria de alimentação

Trabalhadores da Sumol+Compal marcam greve para 6 e 7 de Junho

Os trabalhadores da Sumol+Compal, em Pombal, convocaram greve para 6 e 7 de Junho, de forma a pressionar a empresa a negociar a carta reivindicativa, que exige aumentos salariais e melhorias na farda.

CréditosMário Cruz / Agência LUSA

De acordo com o pré-aviso do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (Sintab/CGTP-IN), a paralisação na fábrica da companhia de sumos e enlatados decorre da meia-noite do dia 6 até às 8h de 7 de Junho.

Em declarações ao AbrilAbril, Mariana Rocha, dirigente do Sintab, afirmou estar em causa a falta de resposta da administração para a negociação da carta reivindicativa dos trabalhadores.

Entre as reivindicações, os trabalhadores exigem aumentos salariais de 4%, com um mínimo de 40 euros, tendo em conta que uma boa parte recebe o salário mínimo, o aumento do subsídio de turno e que a empresa forneça «fardamento adequado, quer no calçado, quer na farda, de forma a melhorar a segurança».

Outros pontos passam pelos horários, com a reivindicação de que a semana de trabalho, iniciada à terça-feira e terminada ao sábado, passe a ser de segunda a sexta-feira. Os trabalhadores exigem ainda o aumento do plafond que têm na loja da empresa e a instalação de sombras no parque de estacionamento.

Além da paralisação, os trabalhadores têm marcada uma concentração às 8h, no dia 6 de Junho, junto às instalações da empresa, seguida de uma manifestação até à Câmara Municipal do Pombal, onde vão proceder à entrega das suas reivindicações e reunir com o presidente do Munícipio.

Tópico