|salários em atraso

Trabalhadores da Keramos-Nazari em luta pelos salários em falta

A empresa de cerâmica de Condeixa-a-Nova, no distrito de Coimbra, deve salários desde Maio e os trabalhadores estão em luta para exigir o pagamento dos valores a que têm direito.

Créditos / Terras de Sicó

Na passa terça-feira, 5 de Novembro, os trabalhadores da Keramos-Nazari estiveram em greve para reivindicar o «pagamento antecipado dos salários». Luís Almeida, dirigente do Sindicato das Indústrias de Cerâmica, Cimentos, Construção, Madeiras, Mármores e Similares da Região Centro (CGTP-IN), explicou à Lusa que, desde o mês de Maio, começaram a receber o salário com um mês de atraso. Acresce a esta denúncia o facto de, até à data, ainda terem recebido o salário referente ao mês de Outubro.

O sindicalista avança que a situação não tem qualquer justificação, uma vez que a fábrica tem encomendas e exporta a totalidade da sua produção.

Se até ao dia 15 de Novembro não forem pagos os salários de Outubro, os trabalhadores colocam a possibilidade de avançarem para uma greve durante todo o mês de Dezembro e de apresentarem uma carta de suspensão do contrato de trabalho. 

A fábrica produz peças de cerâmica artesanal pintada à mão, desde 2012.

Tópico