|despedimento colectivo

Trabalhadores da Cofaco insistem na defesa dos postos de trabalho

Os trabalhadores da conserveira Cofaco manifestaram-se, esta sexta-feira, à entrada da empresa em defesa dos postos de trabalho, na ilha açoriana do Pico. Em declarações ao AbrilAbril, um dirigente sindical sublinhou a luta dos trabalhadores e anunciou novas acções.

Trabalhadores da Cofaco manifestam-se em defesa dos seus postos de trabalho, na Madalena (12 de Janeiro de 2018)
Trabalhadores da Cofaco manifestam-se em defesa dos seus postos de trabalho, na Madalena (12 de Janeiro de 2018)Créditos / SABCES

Na terça-feira passada, os 180 trabalhadores da Cofaco na Madalena (ilha do Pico) foram informados de que a empresa, dona da marca «Bom Petisco», iria encerrar a fábrica e proceder ao despedimento colectivo de todos os trabalhadores que ali laboram. A empresa vai manter os trabalhadores até Abril, altura em que arrancam as obras para a construção de uma nova unidade industrial.

Vítor Silva, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação, Bebidas e Similares, Comércio, Escritórios e Serviços dos Açores (SABCES/CGTP-IN), disse esta manhã ao AbrilAbril que os trabalhadores «insistem na defesa dos postos de trabalho» e que deixaram isso bem expresso na acção de ontem junto à empresa, «lamentando a atitude da administração, que não dialoga com os trabalhadores, e a do governo regional, que tem dado cobertura a esta situação e considera os despedimentos inevitáveis, quando – sublinhou – nada está concretizado do ponto de vista formal».

Plenário sindical dia 17

Na ocasião, foi anunciado um plenário sindical para a próxima quarta-feira, dia 17, que «vai contar com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, e onde será aprovada uma resolução», indicou Vítor Silva.

Posteriormente, uma representação do plenário dirigir-se-á até à Assembleia Legislativa Regional para ali deixar a resolução, que será entregue à presidente da Assembleia, a todas as forças políticas nela representadas e ao presidente do Governo Regional.

«Porque é importante que se perceba o que se passa, o que está em causa neste processo e aquilo que os trabalhadores querem: a manutenção dos seus postos de trabalho, no Pico», afirmou.

Solidariedade em Rabo de Peixe

Vítor Silva disse ainda que, no final deste mês, os trabalhadores da outra unidade fabril da conserveira, em Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, vão realizar um plenário que deverá incidir em dois pontos; a defesa do acordo de empresa e a realização de uma greve em solidariedade com os funcionários da empresa no Pico.

Tópico