|lutas sindicais

Trabalhadores da Carl Zeiss avançam para a greve contra a laboração contínua

A paralisação marcada para os próximos dias tem como objectivo a defesa do período normal de trabalho, de segunda a sexta-feira, tal como está consagrado no acordo de empresa.

Créditos / STIV

A Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro (FEVICCOM) e o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Vidreira (STIV) anunciam, em comunicado, que os trabalhadores da empresa Carl Zeiss Vision Portugal estão em luta contra as pretensões da administração em impor a laboração contínua a partir de 2 de Janeiro de 2021.

Nesse sentido, os trabalhadores estarão em greve desde as 00h de hoje até às 24h00 do dia 4 de Janeiro de 2021.

Para além da defesa do período normal de trabalho, com descanso ao sábado e domingo, os trabalhadores estão em luta para defender o direito de contratação colectiva e para exigir a integração no quadro de efectivos da empresa de todos os trabalhadores com vínculo precário.

Estão também no centro das reivindicações a exigência do cumprimento dos direitos de parentalidade, a denúncia de situações de pressão psicológica e assédio, e ainda o objectivo da realização de testes à Covid-19 a todos os trabalhadores.

Tópico