|Subsídios em atraso

Trabalhadoras de IPSS do Seixal exigem pagamentos em atraso

As trabalhadoras da cooperativa «Pelo Sonho é que Vamos», situada em Paio Pires, no Seixal, não recebem o subsídio de Natal desde 2013, nem têm actualizações salariais desde 2015.

Criada em 1997, a cooperativa de solidariedade social dispõe de vários espaços que funcionam 24 horas por dia, entre estes várias creches, um centro de acolhimento temporário para menores em risco, o lar de jovens e a casa abrigo para mulheres e crianças em situação de risco
Criada em 1997, a cooperativa de solidariedade social dispõe de vários espaços que funcionam 24 horas por dia, entre estes várias creches, um centro de acolhimento temporário para menores em risco, o lar de jovens e a casa abrigo para mulheres e crianças em situação de riscoCréditos / Pixabay

As trabalhadoras da cooperativa de solidariedade social «Pelo Sonho é que Vamos», uma IPSS do concelho do Seixal, não recebem desde 2013 o pagamento do subsídio de Natal, num total de quatro pagamentos, nem têm actualizações salariais desde 2015. 

Numa nota de imprensa, a União de Sindicatos de Setúbal (CGTP-IN) anunciou a realização de um plenário de rua, nesta quarta-feira, pelas 20h, junto ao centro de acolhimento da cooperativa. A acção servirá, além da discussão, para exigir os vários subsídios em atraso mas também a actualização dos salários. 

A situação tem-se arrastado, apesar das várias tentativas de resolução, afirma a nota sindical, que aponta para «as opções de gestão que têm contribuído para que sucessivas direcções fujam aos seus compromissos contratuais para com os trabalhadores».

Tópico