|Banca

Sindicatos dos bancários unidos contra despedimentos no sector

Vários sindicatos dos bancários exigiram o fim dos despedimentos na banca e anunciaram uma manifestação, em data a anunciar, contra o que consideram o «massacre» dos trabalhadores bancários.

O Santander Totta, apesar do aumento dos lucros em mais de 30%, admite a saída de mais 200 trabalhadores
Créditos / Agência Lusa

Em comunicado conjunto ontem divulgado, intitulado «Em defesa dos trabalhadores bancários, o massacre tem de parar», os sete sindicatos representativos dos trabalhadores bancários mostram a sua «firme oposição quanto ao injustificado e desnecessário processo massivo de destruição de postos de trabalho».

Os sindicatos manifestam indignação por os bancos estarem a confrontar milhares de trabalhadores bancários com propostas de rescisão por mútuo acordo e reformas antecipadas. Ao mesmo tempo, dizem, fazem a «comunicação antecipada da implementação de medidas unilaterais, vulgo despedimentos colectivos», com o objectivo de criarem «pânico e temor generalizado nos bancários, de forma a que desistam de lutar pelos seus direitos».

Além do mais, afirmam, isto acontece quando o sector bancário português é dos mais eficientes da Europa e quando os bancos regressam aos lucros.

Os sete sindicatos exigem a «suspensão imediata dos programas de redução de trabalhadores» e a «substituição das rescisões por mútuo acordo por reformas antecipadas» com uma «especial consideração nas situações de vulnerabilidade social».

Os sindicatos anunciaram ainda que vão convocar uma manifestação mas sem anunciarem data, que, dizem, divulgarão em breve, para «transmitir uma mensagem de indignação às instituições financeiras e governativas».

O comunicado divulgado junta os sete sindicatos que representam os bancários: o Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira (Sintaf/CGTP-IN); o Mais Sindicato, Sindicato de Bancários do Norte, Sindicato dos Bancários do Centro (ligados à UGT); o Sindicato Independente da Banca, Sindicato dos Quadros e Técnicos Bancários e Sindicato de Trabalhadores das Empresas do grupo Caixa Geral de Depósitos.

Tópico