|Táxi

Protesto do táxi mantém-se de Norte a Sul

Os taxistas mantêm a paralisação de protesto em Lisboa, no Porto e em Faro pela sobrevivência do sector. Propostas de revogação da lei que regula as plataformas electrónicas vão chegar ao Parlamento.

Táxis parados na Avenida da Liberdade, em Lisboa, na manhã do segundo dia de protesto. 20 de Setembro de 2018
Táxis parados na Avenida da Liberdade, em Lisboa, na manhã do segundo dia de protesto. 20 de Setembro de 2018CréditosTiago Petinga / Agência LUSA

As organizações representativas do sector decidiram manter a manifestação de protesto que decorre desde as 5h de ontem nas três cidades por tempo indefinido. A decisão contou com o apoio dos taxistas, que esta manhã se mantêm concentrados, em maior número na capital.

Após os encontros de ontem com os grupos parlamentares, o deputado Bruno Dias anunciou que o PCP vai apresentar uma proposta de revogação da lei que liberaliza o transporte de passageiros em veículos descaracterizados (TVDE) a partir de plataforma electrónica. A intenção é partilhada pelo BE e pelo PEV.

Da parte do PS, do PSD e do CDS-PP, os deputados que participaram nos encontros com a Federação Portuguesa do Táxi (FPT) e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) não revelaram disponibilidade para revogar a lei que viabilizaram.

O Presidente da República disse que espera «que se atinja um equilíbrio justo na concorrência», ontem, à margem de uma iniciativa em Portalegre. Marcelo Rebelo de Sousa promulgou o diploma no final de Julho, depois de o PS e o PSD terem feito alterações mínimas à primeira versão da lei, vetada em Abril.

O protesto dos taxistas pretende travar a entrada em vigor da lei que regula as plataformas electrónicas de TVDE, prevista para 1 de Novembro.

Tópico