|transportes

Proposta de aumento das rodoviárias privadas «não dá para mais um café»

Os trabalhadores rejeitam a proposta de actualização salarial da Antrop e da Transdev, de 33 cêntimos por dia, e avançam com novo pré-aviso de greve para os dias 22 de Novembro e 2 de Dezembro.

Créditos / Diário Digital Castelo Branco

Perante as propostas da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (Antrop) e da Transdev de actualização salarial em 2022 de 10,5 e 10 euros por mês, respectivamente, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN) e o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (Sitra) decidiram avançar com novo pré-aviso de greve

Num comunicado conjunto, as estruturas sindicais informam que a paralisação abrange todos os trabalhadores das empresas privadas do sector rodoviário de passageiros, associadas na Antrop, e as da Transdev onde se aplica o Contrato Colectivo de Trabalho Vertical.

«As propostas patronais, enviadas no passado dia 3, estão muito distantes da proposta sindical comum apresentada no passado dia 28 de Julho e traduzem-se numa actualização de 0,33 euros por dia, que nem dá para beber mais um café», lê-se no texto.

Os trabalhadores reivindicam o aumento imediato do salário-base do motorista para 750 euros e que o salário dos demais trabalhadores tenha uma actualização na mesma percentagem, de forma a «afastar» os salários deste sector do salário mínimo nacional. 

Por outro lado, exigem uma actualização do subsídio de refeição, nos mesmos termos percentuais do aumento do salário do motorista, e que se proceda à redução do intervalo de descanso para o máximo de duas horas.

Tópico