|administração pública

Primeiro-ministro diz que aumentos são para negociar

Apesar de o Governo não prever aumentos salariais na Administração Pública em 2019, o primeiro-ministro afirmou que «respeita a negociação colectiva». Desde 2009 que não há actualização.

O primeiro-ministro, António Costa, participou na sessão de abertura do I Seminário dos Cônsules Honorários, na Fundação Oriente, em Lisboa. 16 de Abril de 2018
O primeiro-ministro, António Costa, participou na sessão de abertura do I Seminário dos Cônsules Honorários, na Fundação Oriente, em Lisboa. 16 de Abril de 2018CréditosMário Cruz / Agência LUSA

António Costa falava aos jornalistas, esta manhã, no final da sessão de abertura do Seminário dos Cônsules Honorários, na Fundação Oriente, em Lisboa.

«Há um bocado a mania em Portugal de se discutirem fora do tempo as matérias e este Governo respeita o princípio da negociação colectiva, em geral e com a Função Pública», respondeu o primeiro-ministro a questões sobre a matéria, de acordo com a Lusa.

No entanto, ambas as confederações sindicais (CGTP-IN e UGT) saíram da última reunião da concertação social com o entendimento de que o ministro das Finanças, que tutela a Função Pública, não prevê qualquer actualização salarial em 2019.

Recorde-se que a última vez que houve aumentos salariais na Administração Pública foi em 2009, o que significa que os trabalhadores do sector estão há uma década a perder poder de compra. Pouco depois, em 2010, as progressões nas carreiras foram congeladas e, no ano seguinte, começaram a ser impostos cortes salariais, que duraram até Outubro de 2016.

Tópico