|sector metalúrgico

Os trabalhadores da Herdmar exigem uma rápida negociação do contrato colectivo

Uma acção de luta de representantes sindicais do sector metalúrgico, frente à Herdmar, coincidiu com um plenário de trabalhadores da empresa, onde se exigiu a efectiva negociação do caderno reivindicativo.

Créditos / SITE N

A representar os trabalhadores do sector metalúrgico e metalomecânico, dirigentes e activistas do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Norte (SITE Norte/CGTP-IN) e do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro Norte (SITE Centro-Norte/CGTP-IN) concentraram-se em frente às instalações da empresa, na localidade de Barco (concelho de Guimarães).

Ao mesmo tempo, no interior da fábrica de cutelarias onde se produzem cerca de 150 mil peças por dia, os trabalhadores reunidos em plenário rejeitavam os aumentos aplicados pela administração e exigiam que esta aceitasse negociar o caderno reivindicativo que lhe foi apresentado.

As estruturas sindicais sublinham numa nota que, para negociar estas reivindicações, «não há qualquer necessidade de ter como intermediária a associação patronal AIMMAP [Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal]», na qual a Herdmar tem o cargo de vice-presidente da direcção.

Na resolução, aprovada em plenário e entregue à administração, os trabalhadores reclamam um aumento dos salários nunca inferior a três euros por dia, o que corresponde a 90 euros por mês; a actualização dos vencimentos de entrada nas empresas do sector para o valor de 850 euros; e a redução progressiva dos horários semanais de trabalho, com o objectivo de atingir o máximo de 35 horas semanais.

Terminado o plenário, os trabalhadores vieram para o exterior, associando-se à iniciativa dos sindicatos, na qual participaram a secretária-geral da CGTP-IN, Isabel Camarinha, e uma delegação da Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas (Fiequimetal/CGTP-IN), constituída pelo coordenador, Rogério Silva, e vários membros do secretariado da federação.

Tópico