|Carris

«Não haverá discriminação salarial», fruto da luta dos trabalhadores

Depois das acções travadas em defesa do acordo de empresa negociado, a Carris respondeu que não haverá discriminação salarial e pagará a todos os trabalhadores os novos valores remuneratórios.

Estruturas sindicais defendem o carácter público da Carris
As estruturas sindicais frisam que tanto os associados do STRUP como os não sindicalizados beneficiam desta lutaCréditos / CC0 1.0

Num comunicado publicado na página da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), lê-se que, com «o primeiro recuo», caíram os argumentos que a administração «vinha defendendo nas reuniões de conciliação».

A federação congratula-se com o facto de a Carris ter tornado público que «não vai fazer discriminação salarial» entre trabalhadores e que pagará a todos os novos valores remuneratórios a partir do dia 28 de Julho, salientando que a comunicação é fruto da luta travada também pelo Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP/CGTP-IN).

Segundo a nota, fica sem efeito a cláusula de adesão individual, contestada pelos trabalhadores quer pelo conteúdo, quer pelo facto de não ter sido objecto de qualquer negociação com a Fectrans. Como tal, lê-se no texto, «deixou de haver razões para a administração [da Carris] fugir à assinatura do acordo de empresa». 

Tópico