|Contestação laboral

Jovens trabalhadores saem hoje à rua por melhores condições

Sob o lema «A precariedade e os baixos salários são para acabar!», centenas de trabalhadores são esperados esta quarta-feira, em Lisboa, na manifestação nacional de jovens trabalhadores.

Jovens de todo o País na manifestação até à Assembleia da República (Lisboa, 28 de Março de 2017)
Jovens de todo o País na manifestação até à Assembleia da República (Lisboa, 28 de Março de 2017)CréditosElsa Severino

Jovens de todo o País e de variados sectores de trabalho são esperados hoje, em Lisboa, na manifestação nacional da Interjovem (CGTP-IN), inserida no Dia Nacional da Juventude. O protesto parte às 15h do Cais do Sodré rumo à Assembleia da República.

O protesto tem como objectivo contestar a enorme precariedade sentida nos locais de trabalho, que se reflecte em baixos salários, horários desregulados e vínculos precários para milhares de trabalhadores.

Em declarações à Lusa, João Barreiros, coordenador da Interjovem, afirmou que esta é uma realidade que se acentuou nos últimos anos, sendo esperada uma grande participação para exigir melhores condições de trabalho e o «fim das normas gravosas do Código de Trabalho».

A actual situação de «subcontratação e aluguer de mão-de-obra, seja no público ou no privado», através de empresas de trabalho de temporário, é outro ponto apontado. Os trabalhadores exigem uma solução, nomeadamente que a «cada posto de trabalho permanente corresponda um vínculo de trabalho efectivo».

Em nota, a CGTP-IN afirma que a precariedade é neste momento o principal problema e flagelo, tendo impactos profundos no desemprego, na instabilidade e na vida pessoal, responsável ainda pela baixa natalidade e os problemas demográficos com que o País se confronta.


Com agência Lusa

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui